DATAS IMPORTANTES
Início das Inscrições
Última Semana de Novembro de 2013
Data limite para Inscrições
31 de Janeiro de 2014 (Sexta-feira)
Envio notificações/confirmação às escolas
Mais: Meados de Fevereiro de 2014
Júnior: Final de Fevereiro de 2013
Data limite para constituição das equipas
Mais:Final de Fevereiro de 2014
Júnior: Meados de Março de 2014
Data das Semifinais - Mais
8 de Março de 2014 (Sábado)
Data das Semifinais - Júnior:
5 de Abril de 2014 (Sábado)
Data da Final Nacional:
3 de Maio de 2014 (Sábado)

Júnior - Univ. de Coimbra
Mais - Univ. de Aveiro
Olimpíada Internacional
20 - 29 de Julho, Vietname, Hanoi
Olimpíada Ibero-americana
28 de Setembro a 5 de Outubro, Montevideo, Uruguai

EDIÇÃO DE 2014

Vencedores das Olimpíadas Júnior :: 2014 :: Coimbra

1º lugar
    Escola Secundária com 3.º Ciclo do Ensino Básico de Nuno Álvares (Castelo Branco)
    Equipa: Os enzimáticos
    • Cristiano André Antunes Barata
    • Guilherme Vilela Alves
    • Raul Pombo Monteiro
    Professor: Célia Marina António Peixinho

2º lugar
    Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Martim de Freitas (Coimbra)
    Equipa: Os 3 SR
    • Gonçalo Costa
    • Rafael Brito
    • Tomás Paiva
    Professor: Maria de São José Peixoto

3º lugar
    Escola Secundária Alves Redol (Vila Franca de Xira)
    Equipa: Os Isótopos
    • Ana Carolina Silva Lopes
    • Pedro Nuno Conceição Paiva
    • Margarida Luís Raimundo Serrador Luís
    Professor: Maria Helena Rosado Basílio Semedo

VENCEDORES DE EDIÇÕES ANTERIORES :: OLIMPÍADAS DE QUÍMICA JÚNIOR

2014

  • Escola Secundária com 3.º Ciclo do Ensino Básico de Nuno Álvares (Castelo Branco):Cristiano André Antunes Barata, Guilherme Vilela Alves e Raul Pombo Monteiro - Prof.ª Célia Marina António Peixinho - Os enzimáticos
  • Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Martim de Freitas (Coimbra): Gonçalo Costa, Rafael Brito e Tomás Paiva - Prof.ª Maria de São José Peixoto - Os 3 SR
  • Escola Secundária Alves Redol (Vila Franca de Xira): Ana Carolina Silva Lopes, Pedro Nuno Conceição Paiva e Margarida Luís Raimundo Serrador Luís - Prof.ª Maria Helena Rosado Basílio Semedo - Os Isótopos


2013

  • Escola Básica e Secundária de Albufeira: David Miguel Morais Andrade, Nuno André Ferreira Libereiro e João Luna - Prof.ª Ana Luísa Gonçalves - Albufeira
  • Academia de Música Costa Cabral: Ricardo Manuel Costa Miranda Cardoso e Menezes, Diogo Filipe Casanova Vasco e Meneses e Francisco Tomás Pires dos Santos - Prof.ª Joana Pontes Rebelo - Porto
  • Colégio de São Tomás: Maria Grilo, Berta Braga e Pedro Martin - Prof.ª Mónica Gonçalves - Lisboa


2012

  • Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Roque Gameiro - Amadora
  • Escola Técnica e Liceal Salesiana de Stº António - Estoril
  • Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Cabeceiras de Basto - Cabeceiras de Basto


2011

  • Escola Técnica e Liceal Salesiana de Stº António - Estoril
  • Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Caldas das Taipas - Caldas das Taipas
  • Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos D. Manuel de Faria e Sousa - Margaride


2010

  • Colégio da Trofa S. Martinho de Bougado - Trofa
  • Externato "Frei Luís de Sousa" - Almada
  • Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Eugénio de Castro - Coimbra

Disposições gerais

I. As "Olimpíadas Portuguesas de Química ", também designadas por "Olimpíadas de Química", são concursos de resolução de problemas teóricos e práticos de Química, dirigidos aos estudantes do ensino básico e secundário português e organizados pela Sociedade Portuguesa de Química SPQ).


II. Os objectivos das Olimpíadas de Química são:
    a) dinamizar o estudo e ensino da Química nas Escolas Básicas e Secundárias;
    b) proporcionar a aproximação entre as Escolas Básicas e Secundárias e as Universidades e Institutos Superiores;
    c) despertar o interesse pela Química, divulgar a Química como ciência e cativar vocações para carreiras científico-tecnológicas entre os estudantes.
III. As Olimpíadas de Química contemplam vários tipos de provas:
    a) As Olimpíadas de Química+ dirigem-se ao ensino secundário.
    b) As Olimpíadas de Química Júnior dirigem-se ao ensino básico.
    c) As Competições Internacionais nas quais a SPQ assegura - através do protocolo com o ME - a representação de Portugal são, actualmente, as Olimpíadas Internacionais de Química (IChO), as Olimpíadas Ibero-americanas de Química (OIAQ) e as Olimpíadas Europeias de Ciência (EUSO) .

Olimpíadas de Química Júnior

Participantes
1. Podem concorrer todos os alunos que frequentem os 8º e 9º anos de escolaridade em Portugal.

Fases das provas
2. As "Olimpíadas de Química+" decorrem em 3 fases:
    1ª fase – selecção por escola;
    2ª fase – prova nas universidades;
    3ª fase – Final nacional. 
3. Na 1ª fase, cabe às Escolas o apuramento das suas equipas, acordo com o nº8 deste regulamento. Cada Escola poderá inscrever entre 1 a 6 equipas, constituídas por 3 elementos, no máximo.

§ O número de equipas por escola é decidido em cada ano pela Comissão Organizadora Local, dependendo do número de escolas inscritas e da capacidade de acolhimento.
4. Na 2ª fase, as provas são realizadas a nível regional, nos Departamentos Universitários aderentes. Em cada semifinal serão apuradas as 3 melhores equipas, às quais serão atribuídas simbolicamente as medalhas de “Ouro”, “Prata” e “Bronze”.
5. Para a 3ª fase (Final nacional) será apurada a equipa 1ª classificada de cada semifinal, mais a 2ª classificada das semifinais com mais participantes, até ao número máximo de 20 equipas.

Tipo de provas
6. Na 1ª fase, cabe a cada Escola escolher, elaborar e realizar as provas para selecção das equipas que inscreverá para a 2ª fase.
7. Nas 2ª e 3ª fases, a elaboração das provas é da responsabilidade das Comissões Organizadoras locais.
8. As provas das 2ª e 3ª fases deverão conter um conjunto maioritário de questões com base em observações em laboratório, aqui designadas por  perguntas de “observar e mexer”. Adicionalmente, podem ser consideradas questões apresentadas sob a forma de charadas, puzzles, concursos, jogos de pistas e demonstrações.
8. As provas das 2ª e 3ª fases serão realizadas em equipa (3 elementos, no máximo)

Programa
10. O programa considerado na elaboração das questões será o programa de Química até ao 9º ano de escolaridade.

Organização das provas
11. As "Olimpíadas de Química Júnior" são coordenadas pelo Coordenador das Olimpíadas de Química, nomeado pela Direcção da SPQ.
12. A organização da 1ª fase é da responsabilidade exclusiva das escolas participantes.
13. A organização das 2ª e 3ª fases (semifinais e final) é da responsabilidade da Comissão Organizadora Local, constituída pelos docentes universitários nomeados pelo Conselho Directivo do Departamento de Química respectivo e pelos docentes de qualquer grau de ensino que nela sejam integrados.
14. As datas de realização das provas da 2ª e 3ª fases (semifinais e final) serão fixadas anualmente pelo Coordenador.

Prémios
15. Os participantes da 2ª e 3ª fases receberão um diploma de participação e os prémios e lembranças atribuídos pela Comissão Organizadora Local.
16. Os alunos vencedores da 2ª e 3ª fases - 3 melhores classificações por equipas - receberão uma medalha comemorativa e um prémio surpresa.
17. As escolas vencedoras da 3ª fase (final nacional)  receberão uma placa comemorativa.
Participação em provas internacionais
18. Os melhor classificados nas Olimpíadas de Química Júnior poderão vir a integrar a equipa portuguesa que participará na European Science Olympiad (EUSO), num ano letivo posterior.

§ A participação da SPQ nas EUSO decorre de um protocolo com o Ministério da Educação (DGIDC), a Sociedade Portuguesa de Física e a Ordem dos Biólogos.
19. A selecção das equipas para as "Olimpíadas Europeias de Ciência" decorrerá após a preparação e nos termos definidos pelo protocolo acima referido. 


Disposições finais
20. Ainscrição na 2ª fase deve fazer-se até ao dia 31 de Janeiro de cada ano, com a identificação da Escola, o nome do professor acompanhante, e o número de equipas que a Escola gostaria de levar à 2ª fase.
21. Até à data da realização da 2ª fase, cada Escola pode substituir total ou parcialmente os elementos da sua equipa, justificando a impossibilidade dos elementos inicialmente indicados. 
22. Das classificações obtidas apenas serão tornados públicos, em cada prova, a lista ordenada dos vencedores, sem indicação de pontuação.
23. Qualquer questão resultante de omissão ou dúvidas de interpretação do presente regulamento será resolvida pela Comissão Organizadora em 1ª instância e pela Direcção da SPQ em 2ª instância.
24. Futuras alterações ao Regulamento serão decididas pela Direcção da SPQ.

Paulo Ribeiro Claro, SPQ - 2013

Número de Escolas participantes nas Olimpíadas de Química Júnior:
    2013: 285 Escolas
    2012: 278 Escolas
    2011: 324 Escolas
    2010: 304 Escolas
    2009: 233 Escolas
    2008: 211 Escolas


APOIOS INSTITUCIONAIS






Design @ Leonardo Mendes